31 maio 2015

O que ando a ler. . . #5


Este foi o livro que acabei de ler ontem à noite, já tarde, Sete Mulheres da escritora espanhola Almudena Grandes. É um livro que reúne alguns contos, todos com mulheres como personagens principais e, segundo a autora, com algumas passagens autobiográficas pelo meio. Não tenho sinopse para transcrever, mas posso dizer que gostei dos contos, da forma como estão escritos e é um livro que se lê facilmente.

Hoje foi a última reunião desta edição da Comunidade de Leitores, iniciativa organizada pela Biblioteca Municipal de Sobral de Monte Agraço na qual me inscrevi o ano passado, a que fui - vai haver ainda uma outra mas não poderei estar presente, pelo que esta foi a última para mim. Balanço positivo, pois consegui ler todos os livros que me propus ler e ir guardando títulos de outros livros para ler posteriormente, além do convívio com pessoas que não leem, devoram livros! Nesse aspeto, não os consegui acompanhar, admito; enquanto alguns participantes liam dois ou três livros entre duas sessões, eu lia só um e chegou a acontecer terminar um livro minutos antes de sair de casa para a sessão desse dia!

Em modo de resumo, os autores que mais me agradaram e dos quais quero ler mais livros foram Mark Levy, Muriel Barbery e Almudena Grandes. Cinco títulos que constavam do programa da Comunidade de Leitores e que não cheguei a trazer mas estão na minha lista de livros para ler: Casos do Beco das Sardinheiras, de Mário Vieira Carvalho, Os demónios de Álvaro Cobra, de Carlos Campaniço, Cem Anos de Solidão, de Gabriel García Marquez, A Herança do Vazio, de Kiran Desai e A Rapariga com Brinco de Pérola, de Tracy Chevalier. Outros que não constavam do programa mas de que ouvi falar e fiquei curiosa são: Paula, de Isabel Allende e Os Ares Difíceis, de Almudena Grandes.

Assim sendo, até à próxima edição da Comunidade de Leitores já tenho muito por onde escolher, além dos livros que tenho cá em casa e que ainda não li. Há que continuar para não perder o hábito!

20 maio 2015

Casa Lisboa Interior Design Exhibition

 
Teve início no dia 9 deste mês e está a decorrer até ao próximo domingo a edição Primavera 2015 da Casa Lisboa, no Palácio Iglesias. Eu ainda não tive oportunidade de visitar, mas gostava muito de lá ir; a ver vamos... Além da exposição em si, há também outros eventos programados: hoje entre as 17 e as 19 horas, vai lá estar uma representação do Melhor Bolo de Chocolate do Mundo (nham nham... bolas! estou a trabalhar...) e sábado, 23 de maio, às 17 horas há uma Tertúlia de Feng Shui com a Paula Margarido.
 
Para quem queira visitar, o Palácio Iglesias fica no Largo da Academia Nacional de Belas Artes - Chiado, Lisboa, e o horário é das 12:30 às 22:30 horas, todos os dias.
 
Se alguém for hoje, comam uma fatia de bolo por mim! ;)
 
 
 
  
Sigam o E assim sou (mais) feliz! no Facebook e no Bloglovin'


19 maio 2015

P.S. I Love You

 
Tenho andado um pouco ausente, virtualmente falando, e a minha ausência aqui no blog e nas redes sociais tem a ver, principalmente, com o "Pensamento do Dia" que partilhei no Instagram a semana passada. Lutar para que a mudança na minha vida aconteça e dedicar-me às pequenas alterações que me ajudarão nisso mesmo tem ocupado uma parte do meu tempo... Mas sem esforço nada se consegue e sei que, mais cedo ou mais tarde, terei resultados nesta minha busca e aí tudo fará sentido, todo o tempo e persistência serão recompensados!
 
Por coincidência, no fim de semana vi um filme na televisão que não é novo, mas eu nunca tinha visto, o P.S. I love you. Chorei a ver o filme mas adorei-o! Se por um lado conta uma linda história de amor, por outro faz repensar alguns aspetos da nossa vida... É assim que queremos viver, é aqui que queremos estar? Se não é, porque não fazemos por mudar? Porque vamos deixando os sonhos e objetivos "na gaveta" em vez de, pelo menos, tentarmos alcançá-los? Ver este filme numa semana em que eu própria voltei a pensar no que gostava de mudar... percebem porque chorei?? Isso e ver aquele bonito casal separar-se inevitavelmente assim tão cedo e a atitude altruísta dele que, sabendo que ia deixar a mulher sozinha, resolve traçar um plano para a ajudar a ultrapassar a dor da perda e lutar por uma vida nova, são demasiadas emoções para gerir ao longo de um só filme! Gostei mesmo, achei o filme muito bom; se ainda não viram, vejam, mas tenham um pacote de lenços de papel à mão ;)
 
...
 

Vou escrevendo tanto aqui neste meu cantinho que às vezes já nem me lembro de algumas coisas que disse. No fundo, espero que um dia mais tarde as minhas filhas leiam muito do que fui escrevendo, vejam que fui fazendo coisas que gosto e percebam as mensagens que lhes vou deixando também por aqui, além do que lhes vou transmitindo diariamente.
 
P.S.: I love you both, my sweet little girls :) :)
 
 
 
Sigam o E assim sou (mais) feliz! no Facebook e no Bloglovin'

11 maio 2015

Ser mãe (ou pai) é uma evolução contínua!


Este sábado ia fazer um workshop relacionado com um assunto que descobri há pouco tempo mas pelo qual me senti desde logo interessada: parentalidade positiva. Sei que não é um tema novo, mas ainda é desconhecido para muita gente e eu, em boa verdade, sou mãe há apenas dois anos... Mas é algo que realmente me agrada, esta filosofia de educação em que o objetivo é educar de uma forma mais positiva e consciente, atenta à autoestima das crianças, com menos gritos e com menos birras por parte dos pequenos também (gradualmente, afinal elas fazem parte do processo de crescimento). Tratá-los como pessoas inteligentes que são, únicas e em crescimento, mas mantendo a nossa posição de pais, sem os lembrar que somos pais por motivos menos pedagógicos.
 
Há quem diga que é uma moda, mas também diz-se isso de muita coisa que não o é, ou não devia ser, e só quem entende os verdadeiros fundamentos e objetivos, compreende as "modas" e as segue.
 
Como estava a dizer, ia fazer um workshop mas infelizmente não o pude fazer porque não haviam inscrições suficientes para avançar com a formação, para grande pena minha. Mas mesmo sem ter feito o workshop, com o pouco que li até agora, tenho experimentado fazer algumas coisas de forma diferente com as minhas filhas. Posso dizer que, não sendo elas muito birrentas (embora também tenham os seus dias e as suas horas), este fim de semana houve muito menos choros e birras cá em casa e mesmo os que houve duraram pouco tempo.
 
Agora quero continuar a ler sobre o assunto, quer sejam livros ou blogues dedicados à parentalidade positiva, para aprofundar conhecimentos e melhorar a minha maneira de ser, enquanto mãe e enquanto mulher. Se quiserem ler mais sobre tudo isto, podem pesquisar por parentalidade  positiva, parentalidade consciente ou ainda mindfulness.
 
Por aqui, vou lendo, estudando, testando e vou partilhando que progressos temos tido.
Boa semana! :) :)
 
 
Sigam o E assim sou (mais) feliz! no Facebook e no Bloglovin'

05 maio 2015

Pérolas das manas


Quem me conhece sabe que sou uma pessoa discreta, que gosta de se manter low-profile e não tenho o hábito de me gabar de nada, muito pelo contrário, sou a minha maior crítica e acho sempre que as coisas não estão bem o suficiente... Embora esteja um pouco melhor neste último aspeto, ainda mantenho essa postura mas o post de hoje vai no sentido contrário! Hoje escrevo algumas coisas giras que as minhas filhas dizem e fazem, autênticas pérolas que merecem ser registadas para mais tarde recordar! Pode parecer que estou a ser uma grande convencida, armada em super mãe a querer mostrar as habilidades das super filhas... não é nada disso, mas afinal, este é um dos propósitos do meu blog - deixar escritas algumas coisas que quero que as minhas filhotas saibam mais tarde e de que eu própria não me quero esquecer! No fundo, ficar orgulhosa dos feitos dos filhos é normal das mães e eu não sou exceção...
Por isso, perdoem-me, mas hoje vou ser uma convencida! Vá lá, só um pouco ;)

  • Aos dois anos (e já antes dos dois anos), estas duas princesas são umas tagarelas que falam pelos cotovelos e que acham muita graça precisamente a esta expressão, "falar pelos cotovelos" - riem que nem perdidas quando lhes digo isto! 
  • Além de falarem muito, também cantam connosco, sejam canções dos desenhos animados ou aquelas da nossa infância e que ainda hoje se cantam aos miúdos. Até sabem a letra e completam as frases que nós começamos da música Cinderela do Carlos Paião! 
  • B, ao ver as minhas pernas despidas: "a mãe é goducha". Sim, ela chamou-me gorducha, à maneira dela e eu deixo aqui um agradecimento às pessoas que dizem às miúdas que elas "estão boas, gorduchas", pois acho que de outra forma ela não me iria chamar isso...
  • Com dois anos, ainda são raras as noites que conseguimos dormir inteiras. Uma manhã destas, depois de termos dormido mal (leia-se menos ainda do que nas outras noites) graças à H que decidiu que não queria dormir mais, pedi à H que contasse à avó o que se tinha passado: "a H não domiu, a H não deixou pai e mãe domi", ao que eu respondi "pois não, nós não dormimos; e logo, vais deixar o pai e a mãe dormir?" e ouvi em troca, na ponta da língua "não!"...
  • Last but not the least! Só costumo trabalhar no blog quando elas já estão a dormir, além de que o blog nem é assunto habitual de conversa quando estou com elas, o que torna ainda mais curiosas estas duas observações das princesas. Num dia, sai-se a B com esta: "a mãe tem um biog, eu tenho um biog (ainda disse que uns quantos bonecos também tinham biog), a mãe é uma bioga e o pai é um biogo" e eu fiquei a olhar para ela, surpreendida... Caso não tenham percebido, biog é blog, o que faz com que bioga e biogo sejam bloggers, será?? Um dia ou dois depois disto, sai-se a H com esta: "mãe, vou vê o meu biog", isto com o meu smartphone na mão - mas como raio sabe ela que dá para ver um blog no telemóvel?? Mas antes disso, como sabem elas o que são ou que existem, sequer, blogues?? WOW...!!

Estão o máximo, estas miúdas! Deliciosas, inteligentes, malandrecas e super queridas, as duas. Ok, por hoje já chega de baba... Mas a verdade é que me sinto cada dia mais feliz, orgulhosa e abençoada por ser mãe delas. Diz-se que "o dinheiro não traz felicidade" e eu concordo, embora também ache que ajuda em muitas coisas; mas agora digam lá se com tantas pérolas que surgem todos os dias, não tenho uma casa rica? E as pérolas, além de valiosas, até são mais bonitas que notas e moedas! Ah ah ah!!! :) :)

...

Aproveito para dizer que a foto do início do post foi tirada com a minha câmara nova, uma Nikon D3200! Aliás, esta foi uma das primeiras que tirei, ainda sem sequer conhecer os menus e as funções da máquina. Ainda vou publicar algumas fotos mais antigas que tenho guardadas e algumas que vou tirando com o telemóvel, além de algumas de outros bebés gémeos que vou encontrando na net, mas este é um aspeto que quero (e espero) melhorar no blog - as fotografias. Continuem desse lado!


Sigam o E assim sou (mais) feliz! no Facebook e no Bloglovin'

03 maio 2015

Dona Laura - Miguel Araújo

Hoje que é Dia da Mãe quero prestar uma homenagem simbólica a todas as mães no geral e em especial à minha e à do meu marido, que além de serem as melhores mães que podíamos ter, são também as melhores avós que podíamos ter dado às nossas princesas (e que grande ajuda elas nos têm dado sempre!).
 
Para esta singela homenagem escolhi uma música leve e bem disposta, Dona Laura do Miguel Araújo. Porque, no fundo, todas nós passamos por isto: muito do que criticávamos nas nossas mães acabamos por vir a fazer igual com os nossos filhos, que um dia o farão também...

Feliz Dia da Mãe!